Terça-feira, 17 de Fevereiro de 2009

EU ESDOU MUNDO GONSDIBADO

 

Eu esdou mundo gonzdibado. E dando, que na zei gomo derei borzas bara gondinuar a esgreber, baz denho um gombromizo de esgreber. Agondeze que, gando esdamos gonsdibados gomo eu esdou no ado de esgreber esde deizdo, esdou gonsdibado no gorbo dodo, isdo é, abrange dodas as bardes do gorbo: as maos, oz bez, a gabeza e dudo o resdo gue nao bem pra agui dobear. As maos taobém esdão gonzdibadas, daí o alinamendo desde deizdo co alguaz ledraz bloguiadaz. Bor izzo, denho muda dibiguldade em ardigular e esgreber como madam as leiz da zanta madre gramádiga e abedezia-me, maiz, zoldar bara o babel ua boz nao ardigulada. Mas não bozzo debraudar oz meuz gosdumados e agozdumadoz leidorez. Se nao houbezze médigos, não habria doendes, perdão, se não houbezze leidorez nao habia gornais, nei gornalizdaz
Denho az bozzaz dazais endubidas e, bor izzo, dodaz az balabras, mezmo az ezgridas, mezaem bela garganda em gargareigos emoliendes (dic. substância que elimina a dor e a inflamação).
Abesar do beu esdado, aída gonzegui abrir um barêndesziz – tibe algûa dibiguldade, bara dar ao gorbo aguilo gue ele me bedia: que diridasse de frio para imaguinar as briuraz doz gue se gobrem com menoz rouba do gue eu. E, de benzamendo, en benszamendo, no meio doz zero grauz de Lizboa, e do alerta amagelo do guaze resdo do baís, e algu alerda laranja de menoz nobe grauz em Braganza, oido grauz na Guarda, e oubi agora que bai cair nebe no Bordo e em Braga. Gomezei a benzar no «aguecimendo global» - era o gue nós prezizábamos, agora. Nao zei ze gá rebararao que no Inberno, que era guando brezizábamos de calor, bem o frio, e no Berão, que agradezeriamoz ao Griador ûas rajadas de frio, esdamoz adoladoz en galor. Gá biram maior abzurdidade, nesde mundo de badaz ao ar? Boiz eu nuca oubi balar de «frio global». O seor Al Gore, esgrebeu um libro - «Uma Verdade Inconveniente» que bendeu milhões a azzuzdar-nos com o aguezimento global, culpa, diz ele, do gombordamendo humano do homem. Abinal, beio a desgobrir-se, pelo gue ezdá à bista armada e dezarmada, gue dudo izzo é um embusde, ûa mendira, ûa iluzão. Bega-se o libro «A Ficção Científica de Al Gore», de Marlo Lewis. Prebiu ele e ezzas lumináriaz e almaz agoirendas, gue deigaria de haber chubas e as braias engoleriam e oz deszerdoz abanzariam. Bura bendira. E ainda bem.
Agui, biz um iterbalo e fui jantar. O puré de badada e os bifes ezdabam uma delízia. O pior foi a seguir. Tibe que regolher à gama porgue a resbiraçao, binda do esdômago, não pazzaba e nao gonzeguia degludir. Como zou zózio da AMI, mandei bir um médigo a gaza. Ó sehor doudor nem a água pazza da boga para o esdômago. Ele rezeidou-me remédios bárioz. Mas nao gonzegui engolir nehum. E, borgue gulgamos gue az Urgênzias do hosbidal bazem milagrez, lá bou eu para a bija das Urgênziaz. Quando fui chamado, o médigo pediu-me os zintomas. Eu dei os gue tinha dado ao médico AMIgo que tinha bindo a biha gasa.
E, andez que fozze jamado lá para dendro, para a desgoberda do mal e o dradamendo, já na maca,o médigo lembrou-se de me dar um gombrimido e um gopo de água. Eu egoli o gombrimido com doda a bazilidade. Logo a seguir, o médigo, antes de eu me pirar a doda a velocidade para casa curado, disse: - o sehor nao me conheze? Olhei-o defrende e regonhezi gue era o mezmo médico que me dinha adendido AMIgabelmente em miha casa!!!
Eu gombordei-me gomo aguele baralídigo daz bernaz, de muledas gue, debois de gurado milagrozamende, em Fádima, adirou gom as duaz muledas bara o demo e bôs-se a gamiho de gaza belo zeu bé. As alegriaz feztibas nem derao dembo, nem ezpazo para agradezer à Birgem Maria o milagre. O gue me fez vazer a seguide guadra:
Begam aguele baralídigo,
A força da zua fé:
Foi a Fádima de muledas,
E beio de lá belo zeu pé!
Dal e gual o baralídigo fádimo, abedezeu-me deidar ao ar a maca em gue já ezdava deidado. Só que era mudo besada e, sem me desbedir do médigo AMIAdorense (a acção passa-se no Hospital Amadora-Sintra) dei às de Bila Diogo em direzao a gaza gompledamende gurado, sem dradamendo nehum.
Abinal, pergundarao oz zenores: que doenza boi ezza gue noz dezgrebe gom dando pormaior (sic)?
Muido zimplezmende: um trozo de bife tiha-se-me atrabezado na garganda e só resolbeu ir bara o ezdômago no hosbital! Exberimendem e berão a aflizao que é!
Por izzo, eu regomendo: guidado gom os bifez!
                                                                                                                                                              
publicado por argon às 19:47
link do post | comentar | favorito

.Argon

.pesquisar

 

.Maio 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


.posts recentes

. QUERO SER UMA TELEVISÃO

. O ANDARILHO VAGAMUNDO

. BODAS DE OURO MATRIMONIAI...

. A GUERRA MODERNA POR OUTR...

. DEUS, SUA VIDA, SUA OBRA

. UM CONTRASTE CIONTRASTANT...

. FALEMOS DE LIVROS

. TENHO UMA PALAVRA A DIZER

. AS CINQUENTA MEDIDAS - UM...

. O SÍTIO ATÉ ERA LINDO...

.arquivos

. Maio 2012

. Janeiro 2012

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Maio 2008

. Fevereiro 2008

.favorito

. QUERO SER UMA TELEVISÃO

. O ANDARILHO VAGAMUNDO

. BODAS DE OURO MATRIMONIAI...

. A GUERRA MODERNA POR OUTR...

. DEUS, SUA VIDA, SUA OBRA

. UM CONTRASTE CIONTRASTANT...

. FALEMOS DE LIVROS

. TENHO UMA PALAVRA A DIZER

. AS CINQUENTA MEDIDAS - UM...

. O SÍTIO ATÉ ERA LINDO...

blogs SAPO

.subscrever feeds