Sábado, 18 de Julho de 2009

O INENARRÁVEL ALBERTO JOÃO

Anda por aí toda a esquerda indígena ensandecida com uma 'boutade' de Alberto João Jardim. Ele, apenas, queria tirar o PCP da Constituição. Pior seria se dissesse que o queria banir não só do país, mas deste mundo.

Por mais que se matem os seus adversários, a verdade é que a Madeira é UM jardim. Porque tem à frente dela, há mais de trinta anos, O Jardim - menos conhecido por Alberto João.

É que, pese embora todos os seus defeitos - que também tem o direito de os ter, tem puxado sempre e muito pela Madeira, gasta à tripa forra e, no fim, apresenta a conta:

Ó ABREU, DÁ CÁ O MEU!

&

publicado por argon às 10:42
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Sexta-feira, 17 de Julho de 2009

PORQUE SOMOS UM PAÍS POBRE

 

As notícias de hoje tocam num ponto importante. Vê-se pelos títulos ou assuntos:

 

1 carros são os mais caros da Europa.

 

2. Acesso à Internet 20% mais caro em Portugal do que no resto da Europa.

 

3. A Autoridade da Concorrência concluiu que as chamadasde telemóvl são mais caras do que nos outros países da CE. (Só concluiu, não agiu, nem levou ninguém preso).

 

Mas isto é o que se lembraram de destacar os jornais de referência. Porque há muito mais.

 

Lambro-me que o governo, naturalmente a pedido dos utentes, desceu o IVA de 12 para 5% nos Homes Places. A ideia era que os preços dos utentes descesse . Mas não desceram. Ficaram na mesma. E os rsponsáveis desta empresa ainda tiveram o desplante de enviarem cartas para os utentes a justificar a não descida de preços (eu recebi uma na minha casa) com desculpas esfarrapadas.

 

Por sua vez, os preços dos combustíveis são dos mais caros da Europa, como todos sabemos.

 

E podíamos aumentar a lista. E seria do interesse público que alguém fizesse uma lista exaustiva sobre os recordes de preços neste pobre, cada vez mais pobre país.

 

 

Só para dar uma ajudinha, no que respeita ao preço da água que as autarquias nos fornecem, direi que a factura da água, propriamente dita, é a menos pesada. O resto, que pode ir a três ou quatro vezes mais, são alcavalas com nomes pomposos e esquisitos a que dão o nome de taxas disto e daquilo.

Há dias um senhor meu vizinho contou-me que foi a uma Câmara da província perguntar que significavam 6, 5 euros na factura da água. Resposta: é para quando houver alguma rotura na canalização!!!...Aquela taxa era muito superior ao preço da água que gastou!

 

Num Elefante, aqui da minha zona, havia, de início, fracções de 50 cêntimos em cada lavagem do carro. A maior parte das pessoas, as não perdulárias, isto é, aquelas que pensam antes de gastarem o dinheiro que tanto custa a ganha, ( e levam à letra a regra de ouro: no poupar é que está o ganho) gastavam, apenas, 1,50 euros e estava o carro lavado.

O dono desta vigarice lembrou-se de penalizar os clientes e só faz fracções de 1 euro. Quem quiser, terá que gastar, no mínimo, 2 euros. O que é uma violência a que se devia pôr cobro.

E a lista é tão vasta que eu me fico por aqui.

Todos estes abusos acontecem porque em Portugal não há governo que governe. É que o Governo também é eleito para defender os direitos e a vida dos cidadãos eleitores., contra as roubalhices. Tem obrigação de se opor a estes e outros demandos que capeiam desenfreadamente.

Há dias, um amigo pediu-me que lhe pagasse a factura de dois meses da água da sua casa no Algarve. Ele não utiliza a casa há meses. A factura respeitante aos dois meses de atraso era de 2 euros e 1 cêntimo (leram bem?). É verdade, por mês, porque não reside na casa e, portanto, não gasta taxas, cobraram-lhe só uma pequena taxa respeitante à água que não gastou. Se fosse na Câmara de Sintra, (água mais 5 taxas) teria que pagar uma enormidade, pois as taxas são não só muitas, como elevadas.

 

É um fartar vilanagem!

&

publicado por argon às 09:44
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 16 de Julho de 2009

CONSTÃNCIO & C.ª: CRISE'?QUAL CRISE?

PAGOS A PESO DE OURO

 

O estudo de que dou um pequeno resumo abaixo, apresenta, na primeira página, uma pequena introdução que passo citar textualmente:

 

A VERDADE 

 

NEWSLATTER DE INFORMAÇÃO

 

Nº 3 -Janeiro /2008

 

EDITORIAL:  CRISE? QUAL CRISE?

 

Imagine que tinha conseguido um emprego em que lhe pagavam um salário de 300 000,00 Euros por ano, lhe atribuiam um potente BMW com motorista para passear e o Estado ainda lhe concedia crédito bonificado para comprar casa.

 

Era caso para perguntar: Crise? Qual crise?

 

Perguntará o leitor onde é que existem empregos desses.

 

Pois a verdade é que esses empregos existem mesmo. Aqui em Portugal!

 

Enquanto a maioria aperta o cinto, um pequeno grupo de privilegiados consegue levar uma autêntica vida de nababo!

 

Este número d' A VERDADE vai-lhe revelar quem são, o que fazem, e quem paga os salários destes portugueses.

 

PAGOS A PESO DE OURO!

 

Andando eu a mexer nos meus papéis,  tenho uma volumosa colecção de papéis que vou guardando, quando deparo com uma cópia da internet onde se compara o chorudo salário e outras prebendas do nosso inefável regulador Constâncio, governador do Banco de Portugal com o salário do Presidente do Federal Reserve Board, dos Estados Unidos.

Em resumo, para não maçar, transcrevo:

Vitor Constâncio ganhou mais de 280 mil euros só em 2006!

O Dr. Ben Bernanke, Presidente Federal Reserve Board ganhou de salário 126. 938,80 euros.

O Dr. Bernanke ganha 4,5 vezes mais do que o americano médio.

Vitor Constância ganha 23 vezes mais do que o português médio

e 5 vezes mais do que o Dr. Bernanke. Um escândalo, diz o artigo da Internet.

E a revista põe em destaque as qualificções de um e outro. Constância fica a léguas do americano. Este, por sua vez, tem que passar por vários crivos onde tem que provar a sua competência e merecer a confiança dos seus avaliadores. Uma espécie de exame de alto risco. Constâncio bastou estar filiado num partido, o partido do Governo PS que ele sempre tem defendido com as suas (falsas?) previsões favoráveis ao governo, não mostrando independência. Falhou rotundamente como regulador, como ficou provado. E continua, apesar de todos os partidos da oposição terem pedido a sua cabeça.

Mas eis que aí vêm as eleições legislativas. Se outros méritos não tiver a mudança de timoneiro, tem, ao menos, a de limpar estes incompetentes que andam a sugar o erário público.

A Revista espraia-se por 14 páginas de confronto entre estes dois Governadores e os restantes membros da equipa de Constâncio com preto no branco sobre as suas, deste, mordomias, com carrões de alta cilindarda topo de gama e tudo o mais!

Agora, ficamos mais esclarecidos para sabermos porque é que Portugal continua e ontinuará a ser o país mais pobre da CE!!!  O país cujos chefes ganham muito e trabalham e prioduzem pouco. São muito mais bem pagos do que qualquer um de qualquer paísn dsa CE.

Será que o Sócrates não vê isso e não tem um rebate de consciência.

Resposta: Não, porque ele não tem consciência!

 

In A VERDADE

NEWSLETTER DE INFORMAÇÃO Nº 3, JANEIRO DE 2008

EDITORIAL

&

 

publicado por argon às 14:15
link do post | comentar | favorito

...

Leio num dos jornais de hoje: « Procuradoria abre novo inquérito a Mesquita Machado.  Toda a gente conhece o cavalhairo. Faz parte do lote de gozadores da justiça, como o Vale e Azevedo à cabeça, que é o que mais tem escarnecido da nossa justiça, sem que, da parte desta, se tenha ouvido uma única palavra!

Eu acho que nós somos pobres porque andamos a esbanjar tempo, recursos humanos e dinheiro com causas perdidas. Este caso é emblemático. Quantas vezes Mesquita já foi incomodado pela justiça, acusado como arguído e não condenado? Uma série de vezes.

Ele sai sempre por cima. Porque ser condenado com pena suspensa - uma modalidade de pena que não devia existir, não é condenação - é proclamação de inocência.

Veja-se oi caso do autarca daspedrdas: foi julgado e condenado a uma pequena multa. Veja-se Isaltino Morais que, pelo que disse no após julgamento, a justiça é que devia ser ir presa porque condenou um inocente.

Já viram alguma vez um qualquer colarinho branco da nossa praça a confessar qualquer crime ou acto menos digno? Nunca, nem se verá!

Sabem porque é que no espaço d seis meses a justiça americana julgou e condenou o mais trafulha de todo o sempre, chamado Maloff que fz um buraco de 5o mil milhões de dólares? Uma das razões foi porque se confessou culpado. Mas não foi s+o por isso. Foi, também, porque a justiça americana funciona!

&

 

FIDL DE CASTRO

 

De vez em quando lembro-me de Fidel de Castro. Já tenho saudades dos seus textos que escreve, vindos do além, ninguém sabe, se calhar, nem ele. De vez em quando escreve nos jornais. At´we parace que lê e ouve as notícias todas do mundo, como ninguém. E emite opiniões assisadas, no ponto de vista dele e da sua camarilha.

Quando é que se diz onde se encontra, em que estado, se já morreu, quantas vezes já o ressuscitaram?

&

publicado por argon às 10:13
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 15 de Julho de 2009

O SENHOR B. B.

 

1. O SENHOR B.B.
 
Chama-se Baptista Bastos. Não perco nenhuma crónica dele no Diário de Notícias. Por isso, estou bem informado sobre o tipo de personagem que ele é. Escreve bem, mas os assuntos variam pouco. E a forma de linguagem e os temas são sempre os mesmos. Ele, sendo do PCP, está tudo dito. Julgo que só variaria de discurso 180 graus, entoando hinos à virtude, se Portugal fosse governado pelo seu partido.
É um daqueles escritores que só gosta de dizer mal. De todas as correntes de governo e de opinião que se opõem às ideias dele e do seu partido, cuja cassete já todos conhecemos e que é sempre a mesma. É um muito convencido. Que ele é que sabe. Os outros são uns ignorantes. Dá pancada no governo e na oposição, entenda-se, PSD. Nunca criticou o BE, nem o PC.
Ora, digo eu, se ele é que sabe como é, se ele é que sabe quais são os podres do país e das ideologias dos partidos que o sustentam, se ele é que sabe como se deve governar, acho que devia ser obrigado a governar este país. Porque ele é que sabe. Os outros são uns ignorantes. Esquece-se que é fácil criticar, mas difícil governar.
Há tempos escreveu um artigo a chorar baba e ranho a favor dos coitadinhos dos palestinianos do Hamas e de uma menina que morreu às mãos dos israelitas. O texto estava de tal modo construído, que bastava substituir a última palavra – o nome da menina, pelo de uma menina israelita para virar o texto de patas ao ar. E suscitaria a mesma verve de protestos e comiserações. Ela era do Hamas. Mas toda a descrição assentava que nem uma luva se se tratasse de uma menina israelita. Porque o que aconteceu a essa menina tem acontecido com as vítimas israelitas, mortas pelo Hamas. E ele nunca lastimou as vítimas israelitas.
Li muitas vezes este faccioso condenar Israel pelas guerras e morticínios contra o Hamas e nunca o vi derramar uma lágrima pelas vítimas dos israelitas, levadas a cabo pelo sacrossanto Hamas.
&
 
2. NÃO HÁ RAPAZES MAUS
 
Morreu o senhor Palma Inácio. E toda a comunicação social embandeirou em arco a louvar as suas virtudes. Chamam-lhe, mesmo, um herói. Mas herói porquê? Porque desenvolveu  acções revolucionárias contra a ditadura de Salazar e contra este, para o derrubar. Já li que praticou uma façanha digna de louvor porque assaltou o banco da Figueira da Foz. Esqueceram-se de dizer que não fez mais do que prejudicar o país, roubando o que era dos cidadãos. Malbaratou o dinheiro e esteve preso, por tudo isso. Valeu-lhe o 25 de Abril que o libertou da prisão e lhe restituiu a liberdade. Seríamos tentados a dizer que merece parabéns por ter fundado um partido. Mas não os merece porque fundou o LUAR, um partido revolucionário, de cariz anarquista, porque ele nunca soube viver em democracia. E, dentro do partido tem uma folha de serviços de crimes e destruições. O mais grave e notório é que ele nunca construiu nada de positivo, andou sempre a destruir. Apesar disso, o inefável e ingénuo Sampaio no ano 2000 distinguiu-o com a Grã-Cruz da Ordem e da Liberdade. Ele que lutou sempre contra a ordem e a liberdade! Devia era ter-lhe concedido uma Grã-Cruz da Desordem e da Inlibardade. Sampaio fingiu que não conhecia o distinguido, ou quis ocultar as suas diabruras façanhudas e distinguir o que há de bom no fundo de cada um de nós. Há muitos mais portugueses que levaram e levam uma vida de sacrifício a ajudar desinteressadamente o próximo que ele esqueceu. Vejam lá se o Sampaio e outros Sampaios se lembrou de condecorar estes beneméritos da sociedade. É por isso que a política é a arte de enganar os povos e de os iludir. Mas o povo não se deixa enganar! Sampaio quis transformar o Palma dando-lhe a palma de uma homenagem que ele nunca mereceu, porque lutou sempre apostando em causas perdidas, à partida. Será por isso que o chamam de herói?
Recebeu agora os maiores elogios de Mário Soares, de Almeida Santos e outros PSes. Foi pena que o tenham abandonado na velhice. Segundo li, mal recebia para comer. Uma injustiça que estes homens cometeram contra ele. Se, afinal, tanto combateu pela liberdade do país, se era assim um tão grande patriota como dizem, porque não o ajudaram a levar uma velhice com dignidade? São assim os nossos políticos! Que choram lágrimas de crocodilo enfartado e não protegem um homem como este. Que se ele fosse político ou tivesse lutado por isso, podia, antes de morrer e depois de ter abandonado a vida activa, ter gozado os chorudas reformas douradas, como outros que por aí andam.
Para terminar, direi: afinal, para quê lutar contra tudo e contra todos se, o lutador, neste caso, Palma Inácio, nunca fez nada de bom a seu favor e só se prejudicou a si e aos outros? Nunca genhou nada com os seus actos revolucionários. E a pergunta é esta: valerá a pena lutar assim, como Palma Inácio!
Que respondam aqueles que lhe gabaram os feitos e que nunca o protegeram.
&
&
 
3. A LIÇÃO DE SUSAN BOYLE
 
A vida da cantora Susan Boyle é a da vitória contra o preconceito. Os ingleses, todos à uma, gritaram, na fase de apresentação dela na televisão, num célebre concurso, contra esta mulher. Diziam que ela era feia, não andava nas colunas sociais, não pertencia à nata do jet-set que não sabe fazer nada, não era elogiada pela comunicação social. Mas ela teimou e venceu.
No entanto, depois de a verem actuar e, sobretudo, depois de lhe escutarem a voz magnífica, renderam-se e começaram arrepender-se do mal que lhe tinham feito. Então, passaram a elogiá-la e a ter orgulho dela.
Quantas Susanas existem por aí, reféns dos novos preconceitos? Quantas pessoas que consideramos ridículas, escondem riquezas invejáveis? Condenamos sumariamente as pessoas, sem antes tratarmos de as conhecer, exaltando os valores que elas representam. e as qualidades que têm.
Esta história serve de exemplo. Uma mulher, mais que ignorada, desprezada, deu a volta por cima. Por isso, o «The Gaurdian» pergunta: «ela é feia, ou somos nós?»
Ela alcandorou-se, mercê da sua teimosia e do seu talento,aos ugres cimeiros da glória e da exaltação. Chegou a ser recebida por Obama que a homenageou porque ela, embora feia, sem a fama de outras de menores qualidade do que ela, conseguiu impor-se aos ingleses e ao mundo que lhe não regatearam hossanas.
É a destituição da mania preconceituosa que diz que uma rapariga, para ser grande, famosa e receber os aplusos do público te ter a bênção das televisões, tem que ter uma carinha bonita, medir não sei quanto de peito, de cintura e de «bunda»
&  
 
 
publicado por argon às 14:30
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 14 de Julho de 2009

MALDITOS EXAMES!

Chumbos a Português - escreve o Correio da Manhã de hoje.

Duplicam as negativas a Português - titula o Jornal de Notícias.

Chumbos duplicam a Português titula, como manchete, o Jornal de Notícias.

Negativas a Português cresceram este ano 70%, escreve na 1ª página o Diário de Notícias.

.Todos se referem ao 9º ano das provas deste ano de 2009.

É o tema mais falado hoje na imprensa escrita. O Correio da Manhã dedica-lhe o editorial.

A ministra da educação disse ontem  que se sentia orgulhosa pelos bons resultados dos exames. Depois de atribuir os menos bons resultados dos exames à comunicação social.

Trata-se de uma desculpa de mau pagador.

À saída dos exames de Português, os alunos mostraram-se contentes e diziam, eufóricos, que foram fáceis.

O Português foi sempre uma disciplina muito difícil. E mais quando é certo que os alunos estudam muito pouco. Talvez fiados na aparente facilidadade dos exames. Que até é verdade: os exames são ultimamente muito fáceis, se comparados com os de outros tempos em que era preciso marrar muito para haver bons resultados.

As Associações de Matemática, Portugês e outras, há anos, desde que esta ministra o é, que criticam os exames pelo seu facilitismo, quase infantil.

Todos sabemos que o facilitismo, neste governo, é propositado, para, depois, o governo, com o seu comandita à frente, mostrarem à CE. Mas não é por falta de orientações nos exames. Os exames creio que de Português deste ano tinham nada menos que 13 páginas. Só para as ler, quanto tempo não é necessário?

Todos sabemos que somos talvez o país mais iletrado da Europa, ou, pelo menos, estamos entre os piores. O que não abona nada. E com o ataque que a Ministra tem feito sistematicamente contra a escola pública e os professores, outra coisa não era de esperar.

Curioso é o editorial do Público do dia 8 de Julho corrente. O director titula assim o editorial: «Mea culpa. Fui eu que estraguei a média dos exames». tal qual! E diz, em síntese: estou arrependido por o êxito do PÚBLICO entre os alunos do 12º ano os ter levado a acreditar que os exames iam ser fáceis e, assim, não terem estudado para conseguir boas notas a matemática.

Afinal a comunicação social disse, é verdade, que os exames eram fáceis. mas «a posterioi», isto é, dpois de realizados e verificados.

Está-se, mesmo, a ver que estamos no fim de um ciclo de governo. As coisas estão a piorar cada vez mais e à medida que nos aproximamos das eleições. É preciso, é urgente, não só tirar a maioria a este governo de má memória, como pô-los na rua com um pontapé no traseiro. Já chega de tanta fantasia, tanta acusação e tanta mentira.

O ministério da educação foi o que funcionou pior, entre todos. Por causa da teimosia numa matéria sensível e que mexe com muitos milhares de pessoas. Quiseram assenhorear-se das escolas que são dos cidadãos e não deste ou daquele primeiro ministro. E quiseram mudá-la à meneira deles, muito mal.

Já chega! basta!

&

 

publicado por argon às 10:00
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 13 de Julho de 2009

FORA COM AS MAIORIAS ABSOLUTAS

Pela experiências destes últimos quatro anos em que o PS foi dono e senhor do país, qualquer português com dois dedos de testa sabe que não pode haver pior governo. Foi o governo do posso, quero e mando. mesmo sabendo que a maioria dos portugueses estava contra a maior parte das medidas levadas a cabo. Ou Sócrates viveu estes anos todos fora drealidade do país, ou, sabendo-o, portou-se como um ditador. Que foi o que ele foi. Embora, face aos negativos resultados das europeias, tenha fingido que mudara de rumo.

Ele conseguiu a proeza de virar todas as classes profissionais contra ele e, nem assim, ele vergou. Por isso, vai perder as eleições legislativas porque os portugueses, neste caso, não vão ter a memória curta e vão penalizar o PS.

Ferreira Leite poderá suceder-lhe e creio que não ficaremos pior com ela. Pelo menos, será diferente. E, entre o mau de Sócrates e o diferente de Manuela, é de preferir Manuela.

Os partidos de esquerda não estão interessados em ser governo. Porque se o fossem, o primeiro a lastimar seria o Louçã porque deixaria de mandar bocas, que é o que ele sabe e gosta de fazer.

É muito fácil criticar mas, se ele estivesse no lugar de Sócrates, ou mudava o discurso 180 graus, ou destruia o país em muito pouco tempo. Porque as ideias dele são muito lindas, mas, na prática, não são passíveis de levar à prática. Por isso, eu digo: para que votam nele se se trata de uma votação para eleger um partido de governo, se ele nunca pode ser governo? São votos deitados à rua. Falo assim porque o BE e o PCP nunca lá vão. Os seus programas não são exequíveis. Nem mesmo se podem ligar ou coligar a qualquer partido de governo.

Na história política do nosso país o PS e o PSD (este é o PS a Diesel) são semelhantes. Mas diferem numa coisa: O PS só gosta de distribuir o dinheiro quie há, isto é, o que o antecessor PSD amealhou. E o PSD dá realce aos ganhos monetários isto é, só sabe ganhar dinheiro. Como o PS deixou de ter dinheiro para distribuir, tem que lhe suceder o PSD para o ganhar. Por isso, se revezam no poder, como se tem visto.

No entanto eles equivalem-se, neste sentido:

A socail democracia é a arte de dividir a riqueza em partes desiguais.

O socialismo é a arte de dividir a pobreza em partes iguais.

Por outras palavras: o objectivo da esquerda portugeusa consiste em MARCHAR NO SENTIDO DO PROGRESSO.

O objectivo da direita: PROGREDIR NO SENTIDO DA MARCHA.

O PS já gastou o dinheiro todo e já começou, há muito, a endividar-se, para continuar a distribuir.

É tempo de vir o PSD para diminuir a dívida e, se possível ,equilibrar as finanças. É o que o povo eleitor pensa.

Penso eu de que...

&

 

publicado por argon às 21:18
link do post | comentar | favorito
Sábado, 11 de Julho de 2009

CUIDADO COM OS LARÁPIOS

Hoje, vou apresentar três casos, dois que aconteceram ontem e um hoje. Fui protagonista de um, tocou-me outro familiarmente e tive conhecimento directo do terceiro, o mais garve.

É por este que eu começo. E deixo os outros dois para amanhã.

 

1. Ontem recebi um telefonema da dona de uma ourivesaria, viúva, com a qual não falava há vários meses. Esteve a falar comigo durante mais de meia hora. E para justificar a falta de notícias, contou-me o que lhe aconteceu há dois meses.

Dois brasileiros esperaram a senhora à porta de casa e raptaram-na. A intenção deles era (foi) exigir que ela lhes entregasse as chaves da ourivesaria. Meteram-na no carro em que se transportavam e levaram-na para uma zona erma e ataram-na a uma árvore e lá a deixaram, depois de , pelo caminho, a terem esmurrado e lhe terem dados outros maus tratos. Depois de a deixarem presa à árvore, dirigiram-se a Lisboa, na Baixa, ao local onde a senhora tem a loja de venda de artigos de ouro. com as chaves em mão.

Ela conseguiu libertar-se, roendo com os dentes as cordas a que estava amarrada. Toda andrajosa, desfigurada e muito conspurcada, chegou a uma estrada próxima e nenhum condutor parava para a socorrer. Até que chegou um taxi que se negou a transportá-la e só o fez por ter pena da senhora que chorava como uma criança. Levou-a à esquadra mais próxima e a esquadra da Gomess Freire encarregou-se da ocorrência e mandou alguns homens para a porta da ourivesaria. Quando os ladrões chegaram, desconfiaram que aqueles homens vestidos à paisana fossem polícias e fugiram

A senhora ficou ferida, foi parar ao hospital onde esteve internada não me lembro  quantos dias, e ainda hoje sofre as sequelas físicas e as psicológicas daí resultantes. Vive apavorada, toda a gente lhe parece de temer, não se encontra segura e vive um drama cada dia que passa.

Ela relatou-me o negócio da loja citando-me todos os pormenores em números de compra e venda e lucros das transações, bem como os picos de maiores vendas num só dia, com este género de negócio - um negócio chorudo, mas de alto risco, que envolve milhões por ano e mais, agora, em época de crise. Disse-me quanto tem que pagar por mês aos seguranças permanentes que tem junto da porta da loja, os milhares de impostos que pagou. Ela diz-me tudo o que se passa com ela, até coisas confidenciais porque tem confiança em mim. Eu conheço bem a vida dela com bastante pormenor porque ela se abre comigo e me conta tudo. Eu ia ouvindo e ia-a animando mas as minhas palavras de pouco lhe podem valer. Brevemente, conto visitá-la na sua loja, na Baixa de Lisboa.

Para finalizar, direi que muitos crimes e raptos se praticam em Portugal, sem que o público tenha conhecimento. Este caso, por exemplo, não veio relatado nos jornais.

2. A casa da minha filha mais nova, que vive em Algés, foi assaltada pelos rarápios. Levaram-lhe u portátil e uma Plastation3. Não quiseram mais nada. Quando ela regressou a casa às 04 horas da manhã, é que deu conta da ocorrência. Julgo que até foi bem, ou menos mal, ela não estar em casa quando a assaltaram. Penso que os ladrões teriam entrado e escolhido esta casa, de preferência, porque julgaram que iam assaltar a vivenda de alguma viúva rica, dado o facto de a casa ser uma vivenda incrustada numa das mais movimentadas ruas de Algés. Enganaram-se e, talvez por isso, para deixarem a lembrança da sua fugaz presença, levaram-lhe os objectos citados. A polícia esteve no local mas, até esta data, nada se apurou.

 

3. Eu ia a caminho dos CTT para meter uma carta quando, depois de atravessar uma rua, passa por mim um carro com dois cavalheiros lá dentro. Parou e o pendura perguntou-me:

- Não me conheces? (Assim, tratando-me por tu, para encurtar distâncias e obter o que pretendia, mais facilmente). Eu respondi que não.

- Então, não te lembras de teres estado com o meu pai Anastácio naquele almoço?

- Não, não me lembro. <era tudo mentira. Sabes, aqui o engenheiro, - referia-se ao condutor, vai abrir um restaurante e quero dar-te um cartão. És convidado. E vai lá, também, o Fernando Seara ( presidente da Câmara Municipal de Sintra).

Seguidamente, abre o capô e desembrulha, de uma bolsa, uma máquina de filmar (que, ao que suponho, devia ser muito rasca ou avariada).

- Esta máquina é para ti. Tens netos?

- Sim, tenho dois de três e de 16 anos.

- Então a máquina é para ti ou o teu neto de 16 anos?.

Antes que eu respondesse, mostrou-me dois relógios dentro de uma caixa. Também eram para mim!

A seguir diz-me: - Tens que dar xis em euros, não me lembro de quanto me pediu. Vamos para o Algarve e é para ajudar a pagar ao gasóleo. Aí, eu disse-lhe que não, que não estava interessado. Ele, então, entrou no carro e  dasapareceu. Teria ido a enganar outro potencial freguês. É claro que essa coisa de me entregar um cartão-convite era patranha. Dissera que ia dentro da máquina. O que era mentira. Não havia cartão nenhum.

Só depois me lembrei que cometi um erro: não tirei a matrícula do carro do burlão

Mas, a comparar com os casos 1 e 2, fui, apenas, abordado por dois burlões que não me fizeram nenhum mal, nem me provocaram qualquer dano.

&

publicado por argon às 21:38
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 8 de Julho de 2009

BODAS DE PRATA

Há dias, já tinha dado um lamiré. Mas hoje venho confirmar:

A Câmara Municipal de Sintra e a Casa Museu Leal da Câmara, sita esta na Rinchoa, Rio de Mouro, vão levar a efeito, no próximo dia 21 de Julho, uma homenagem a ARGON, pelos 25 anos de crónicas humorísticas mensais publicadas em vários jornais, sem ter falhado um só mês. É obra, dirão. Mas, tratando-se do género humorístico, devo dizer que é uma matéria difícil. E a prova é que, em Portugal, há muito poucos humoristas que mereçam este nome. É uma arte que não deve ser forçada e que, para valer, é preciso que ela seja um dom da natureza, fruto de uma queda natural. Para isso, é necessário, também, o escritor aprimorar-se na arte da escrita. Por outras palavras: é preciso dominar a língua portuguesa e conseguir uma forma literária elegante, simples e saber escolher as palavras apropriadas. Por outro ladio, é necessário estar muito atento às realidades da vida quotidiana, estar em cima dos acontecimentos, estar actualizado e ter uma grande cultura que só se adquire ao longo de anos de familiaridade aturada com os autores de bons livros, com as muitas leituras e com um espírito crítico acentuado e uma imaginação criadora fértil.

Acontece que há por aí livros que de humor têm, apenas o título. E eu sei o que digo porque possuo muitos, leio muitos e até franceses. A maior parte deles nem me leva a sorrir, muito menos a rir e ainda menos a dar uma gargalhada. São uma decepção, apesar do marketing enganador que, muitas vezes, está por detrás. Não me refiro a anedotas, um género que considero menor. É fácil publicar um livro de anedotas porque se baseiam todos,  numa desfigura de estilo chamada copilhagem. Se mete  fotocópia, chama-se, com propriedade, foocopilhagem.

Eu tenho uma obra humorística vastíssima, imensa mesmo. Vejam só: 25 anos a escrever uma crónica de humor.  Alguma  publicada em dois livros: VILIRRI e HUMOR EM PEDAÇOS (404 páqinas). VILIRRI - termo que eu inventei (VI-LI-RI), bem como os seus derivados da família: 'vilirrístico' e 'vilirristicamente' .

Sem falsa modéstia, há muitos leitores que me dizem que é o melhor livro de humor alguma vez publicado em Portugal. Se não acreditam,  só podem negá-lo depois de os lerem. Não vale negar gratuitamente, isto é, sem provas. Eu costumo acrescentar, como prova, usando um argumento argonístico, dizendo: (acreditem, se quiserem):

Se D. Afonso Henriques tivesse lido, apenas, um destes dois dois livros,  não teria batido na mãe.

A homnagem decorrerá na Casa Museu Leal da Câmara, na Rinchoa, sob o lema:

 

CRÓNICAS DE ARGON - BODAS DE PRATA DE HUMOR.

 

Brevemente publicarei nos «DIÁRIOS DE ARGON» O CONVITE e o cartaz da CÂMARA MUNICIPAL DE SINTRA.

Até lá, continue feliz e «carpe diem» - aproveite bem o dia.

&

&

publicado por argon às 21:55
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 7 de Julho de 2009

PRÓS E CONTRAS

Ontem, à noite, assisti ao programa do 'Prós e Contras', na RTP1.

Aconteceu o que eu já esperava: que cada partido - e estavam nele representados todos os partidos com assento na Assembleia da República, defendeu a sua dama, de acordo com a sua ideologia.

O Governo esteve bem representaddo na bem conhecida lapa chamada Santos Silva. E defendeu bem o governo que representava, segundo a matriz autoritária e auto-convencida do patrão Sócrates.

A oposição atacou - era disso que se tratava, o governo e a sua obra de quatro anos, à frente do governo da Nação.

Há três maneiras de ver as coisas: vendo, apenas, o lado positivo e transformando tudo em sucessos sucessivos sucedidos sem cessar (Esta parte esteve entregue a Santos Silva);

há a outra face da moeda que consiste em ver tudo pelo olho crítico negativo - tudo o que o governo fez é de reprovar - disso se encarregou toda a oposição nas pessoas do Morais Sarmento (PSD),  Carlos Carvalhas (PCP); Nuno Melo (CDS) e Luís Fazenda (do Bloco de Esquerda).

Depois, há um terceiro modo de ver as coisas que o governo fez: elogiar as medidas positivas e criticar as negativas, apontando-as. Coisa que nenhum fez.

Três áeras de apreciação estiveram sobre a mesa pela moderadora Fátima Campos Ferreira: a Saúde, a Educação e a Justiça.

Depressa alguns entraram no caso do Relatório da Assembleia da República, condenando a actuação de Constâncio que, na afirmação verdadeira de toda a bancada da oposição, saíu ilibado, mal,  pelo Partido Socialista. E todos pediram a cabeça do regulador do Banco de Portugal que não regulou nada e merecia, segundo eles, ser demitido a obrigado a assumir culpas com as suas consequências. Aconteceu assim, fora da agenda, porque foram ontem apresentados os resultados do Relatório. Aqui, a oposição esteve bem e com razão, dirão todos os portugueses. O ministro apresentou argumentos de mau pagador.

Quanto à Educação, ela foi condenada 'in limine' por toda a oposição, por mais que o ministro falasse só (faccioso à maneira socrática, as manhas também de aprendem) de alguns aspectos positivos e deixando no esquecimento voluntário os casos mais polémicos. Não falou que o governo, pela mãozinha destruidora da ministra da educação, quis impor uma reforma contra a classe de todos - TODOS, os professores na questão da Avaliação e no Desempenho. Ignorou a rua protestativa que juntou quase todos os profes.

Nada mais falacioso do que puxar por números, a maioria de cor, coisa que não há possibilidade de controlar. Por isso, não é de acreditar nos que o ministro debitou, todos astronómicos, se se tratava de casos positivos e pequeninos, se pelo contrário.

Quanto à Saúde, as coisas processaram-se de modo análogo, bem como quanto à Justiça: oposição ao ataque, ministro à defesa.

Em resumo, diremos que houve um empate técnico de zero a zero, quero dizer, era melhor não ter havido debate: tudo ficou como dantes. O desempate será feito no dia 27 de Outubro nas eleições.

Os portugueses não voltarão a querer  um governo de maioria absoluta. É que este modo de (des)governo do posso, quero e mando, é pernicioso para a democracia e mais quando aparece, vindo lá das berças, com falta de qualificações e cheio de animosidade e teimosia, um ser como o Sócrates que vive num mundo virtual, num país de sonho, onde tudo é cor de rosa e lindo, um mundo à parte e oposto ao da realidade que os portugueses estão vivendo. É que o poder não cortompe só, também desfigura a realidade.

A concluir, direi:

AFINAL, ESTE GOVERNO GOVERNOU BEM, MESMO MUITO BEM!

 

segundo aquele aforismo que diz que «governar é decontentar»,

ESTE GOVERNO CONSEGUIU UMA PROEZA QUE HÁ-DE FICAR PARA A HISTÓRIA:

 

Conseguiu descontentar todas as classes profissionais porque governou:

- contra os agricultores (destruiu a agricultura)

- contra os profissinais da educação (vulgo, professores) destruindo a escola que, segundo António Barreto, socialista insuspeito, ficou pior depois destes quatro anos de destruição.

- contra os magistrados - lembram-se que Sócrates parecia um touro: a primeira classe a ser escorneada foi a dos juízes, acoimados de privilegiados, que tinham férias judiciais excessivas - quis nivelá-los com as classes trabalhadoras, com o povo.

- contra os reformados;

-contra os pescadores (perdão, já não há a classe pescadores - a pesca é um assunto varrido da gíria governamental, um desconchavo num país essencialmente marinheiro que pelos mares nunca dantes navegados, levou a descoberta de novos mundos dados ao mundo e espalhou a civilização pelos quatro cantos do mundo. E ficámos como os maiores!

- contra os funcionários públicos;

- contra as forças de segurança

- contra os guardas prisionais;

- contra a classe médica;

- numa palavra, contra todos os portugueses.

Houve, da parte de Fátima campos Ferreira um descuido: a certa altura parecia que não havia ali ninguém a moderar. Deixou falar de mais Carvalhas e de menos Nuno Melo, o deputado mais bem informado e mais actuante da audição do governador do Banco de Portugal no caso BPN.  Nuno Melo, o mais truculento com um discurso vivo, acutilante, com argumentos mais válidos, para se opor ao branqueanto do Banco de Porytugal, do relatório do Inquérito ao caso BPN - ia cilindrando o ministro. Mas Fátima, à boa maneira a que a RTP1 nos habituou (amanhã, vai à Assembleia da República Carlos Alberto Carvalho explicar porque deu menos oportunidades de intervenção via RTP ao PSD, escândalo notório)  tirou-lhe a palavra - convinha salvar o ministro!...

E, agora, um conselho a Fátima Ferreira:

uma moderadora ou moderador, nunca deve deixar fazer três coisas:

1. Que um participante dialogue com outro (neste caso, um da oposição com o ministro) - deve ser sempre através do moderador;

2. Não deve consentir NUNCA que duas vozes opostas ou não, de sobreponham; cada um dos participantes deve falar sem interrupção alguma, até que3 a moderadora, o interrompa e mude de interlocutor. Mas empre comcuidado, deixando que o falante conclua, com brevidade, o seu raciocínio.

3. Deve dar o mesmo tempo de intervenção a cada um dos intervenientes (Nuno Melo ficou muito prejudicado).

 

SÓCRATES DIRÁ À OPOSIÇÃO E AOS PORTUGUESES, (LÁ PARA ELE):

 

QUANTO MAIS ME (DE)BATES, MAIS GOSTO DE MIM!

&

publicado por argon às 09:55
link do post | comentar | favorito

.Argon

.pesquisar

 

.Maio 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


.posts recentes

. QUERO SER UMA TELEVISÃO

. O ANDARILHO VAGAMUNDO

. BODAS DE OURO MATRIMONIAI...

. A GUERRA MODERNA POR OUTR...

. DEUS, SUA VIDA, SUA OBRA

. UM CONTRASTE CIONTRASTANT...

. FALEMOS DE LIVROS

. TENHO UMA PALAVRA A DIZER

. AS CINQUENTA MEDIDAS - UM...

. O SÍTIO ATÉ ERA LINDO...

.arquivos

. Maio 2012

. Janeiro 2012

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Maio 2008

. Fevereiro 2008

.favorito

. QUERO SER UMA TELEVISÃO

. O ANDARILHO VAGAMUNDO

. BODAS DE OURO MATRIMONIAI...

. A GUERRA MODERNA POR OUTR...

. DEUS, SUA VIDA, SUA OBRA

. UM CONTRASTE CIONTRASTANT...

. FALEMOS DE LIVROS

. TENHO UMA PALAVRA A DIZER

. AS CINQUENTA MEDIDAS - UM...

. O SÍTIO ATÉ ERA LINDO...

blogs SAPO

.subscrever feeds